Editora do Autor de Best–seller do New York Times e Best–seller Internacionais, L. Ron Hubbard

20.º ACC Americano

 20.º ACC Americano

20.º ACC Americano

Tendo anunciado o facto do clearing no Congresso de Clearing, Ron devotou agora o 20.º ACC Americano a uma redefinição abrangente dos fundamentos. Ao dizer aos estudantes: “Em cada avanço de Dianética ou Scientology passamos de ser capazes de ajudar alguns poucos a ser capazes de ajudar a muitos”, o Sr. Hubbard ensinou como levar a Clear muitas pessoas. Isto começou com a tecnologia para motivar a participação do preclear; isto é, a condição de estar em sessão. Como as originações erroneamente manejadas eram a maior causa dos preclears saírem de sessão, ele explicou em detalhe como assegurar-se de que permaneçam em sessão. E isso não foi tudo, pois aqui temos uma grande quantidade de material novo: uma explicação de como auditar a Rocha, um incidente que está no centro da mente reativa, uma descrição do Átomo, um engrama que precede Os Fatores, e a apresentação de descobrimentos decisivos sobre fenómenos do E-Metro. Ao treinar os auditores até que soubessem os dados perfeitamente, L. Ron Hubbard fez do 20.º ACC o padrão para o treino de auditores profissionais. Enquanto no que diz respeito à meta de levar muitas pessoas a Clear, a expansão de Scientology teve um enorme aumento, enquanto ele embarcou rumo a Inglaterra para anunciar o próximo avanço em direção ao clearing de amplas dimensões; um avanço que reviveu os primeiros dias de Dianética.

Leia Mais
adquira
400€
Envio Gratuito Atualmente elegível para envio gratuito.
Em Stock Envio dentro de 24 horas
Formato: CD
Conferências: 35

Mais sobre 20.º ACC Americano

Podemos agora dizer que algumas centenas, certamente alguns milhares de Clears estão à vista. Cem mil podem mudar a civilização da Terra.

Estamos no nosso caminho. – L. Ron Hubbard

Com a completação do 19.º Curso Clínico Avançado, L. Ron Hubbard atingiu um conjunto de objetivos mesmo antes da publicação de Dianética: O Poder da Mente sobre o Corpo.Porque embora os auditores tenham sido sempre capazes de produzir resultados milagrosos nos preclears, ele agora tinha refinado tanto a tecnologia que qualquer auditor bem treinado podia sistematicamente fazer um Clear. Isto já foi salientado mas vale a pena repetir: desde 1947, o Sr. Hubbard tinha sido sempre capaz de fazer Clears. Por isso, desde o dia em que Dianética chegou às livrarias e subiu vertiginosamente até às listas de best-sellers, o seu objetivo principal foi desenvolver processos que outros – auditores de todo o mundo – pudessem aplicar, a qualquer preclear, para atingir o mesmo resultado: o Clear.

E agora, em 1958, os anos de avanço firme e muitas vezes repentino culminaram no objetivo há muito pretendido e inequivocamente atingido com a produção de 15 Clears na audição de estudante num curso em que até toda a supervisão tinha sido dada por Instrutores que não o Sr. Hubbard, o 19.º ACC.

O momento foi histórico e o triunfo foi celebrado no Congresso de Clearing onde, numa série de palestras verdadeiramente impressionantes, L. Ron Hubbard anunciou a Scientologists exuberantes que o aclaramento em larga escala era agora uma realidade. Atualmente, essas palestras permanecem como o único congresso gravado em filme e, por isso, onde se pode ouvir e ver o anúncio do facto do aclaramento.

Com o aclaramento agora um facto consumado, o Sr. Hubbard dedicou o 20.º Curso Clínico Avançado Americano em Washington, DC, a uma redefinição compreensiva dos próprios fundamentos da audição da perspetiva de tudo o que tinha sido aprendido naqueles anos intensos de pesquisa e descoberta. Por outras palavras, não apenas que processo percorrer e porquê, mas algo ainda mais básico – a perícia e aplicação técnica exigida a um auditor para suscitar no preclear a disposição para ser auditado e a sua completa participação na sessão – nomeadamente, em sessão:

“De facto, a audição é mesmo eficaz se eles estiverem mesmo em sessão. E de facto, é mesmo ineficaz se não estiverem. Agora, o que é um problema de tempo presente senão uma atividade que se passa no universo físico neste momento, que permite à atenção de um preclear ser exterior à sessão e exterior ao auditor e portanto não sobre o problema da audição.

“Se não pensam que isto é sério, observem os perfis antes e depois de 25 horas de excelente audição, perita e profissional, num PC que, todo aquele tempo teve um problema de Tempo Presente que não foi tocado e do qual ele nunca falou ao auditor e que permaneceu mascarado e enterrado. Não obtêm variação de perfil, nem variação de QI, nem o desaparecimento de psicossomáticos, ou de qualquer outra coisa.

“Portanto, isso diz-vos até que ponto é importante estar em sessão. Muito importante, uma vez que a ausência disso impede qualquer processo de funcionar. Portanto, deve ser primordial ao percorrer qualquer processo.”

Assim, temos uma série de ferramentas para os auditores realizarem os pré-requisitos de cada sessão: o PC disposto a estar ali, disposto a ser auditado e disposto a seguir os comandos do auditor. No entanto isso estava longe de ser tudo, porque L. Ron Hubbard adicionalmente instruiu esses auditores numa vasta gama de novos avanços e descobertas. Exemplo: palestras inteiras destinadas ao manejo da Rocha, definida pelo Sr. Hubbard como o coração da mente reativa. Depois havia o engrama comum a todos os thetans, o Átomo, com a descrição adicional do Sr. Hubbard como ele precedia Os Fatores. Foi também aqui a sua explicação adicional do uso do E-Metro e descobertas cruciais sobre reações da agulha: a primeira descrição de um Rock Slam, a origem da agulha Fase Quatro e a teoria e mecânicas exatas do que viria a ser o famoso exercício 16 do E-Metro, A Produção de Ações da Agulha. Tudo isto e uma multiplicidade de aplicações técnicas relacionadas, cada uma delas fundamental:

  • Primeiro Postulado – a não-cognoscência é o denominador da não clareza, porque a solução do preclear para os problemas básicos de dor e inconsciência era não-saber isso;
  • Aclaramento – a essência do aclaramento é o princípio de que a destruição está totalmente dependente da construção que a precedeu. Abordar a construção só por si expulsa a destruição;
  • Mudança, Problemas, Ajuda, Criação e Responsabilidade – os cinco botões encontrados em toda a aberração que devem ser abordados para fazer um Clear;
  • O Auditor – o modo como o auditor é o “deus” da linha do tempo do preclear e o “ invasor profissional da privacidade”;
  • Interesse do Auditor – a urdidura e a trama da audição depende do interesse do auditor;
  • Originações – mais preclears saem de sessão devido a originações mal manejadas do que por qualquer outra razão;
  • Progresso do Caso – como controlá-lo com escalas e testes;
  • Educação – é a educação que faz um OT.

Com esses auditores ensinados e exercitados até poderem cantar os passos básicos a dormir, o curso provou ser tão bem-sucedido que L. Ron Hubbard viria a estabelecer o 20.º ACC como o curso standard para o treino de Auditor Profissional.

E com as perícias de auditor a ter atingido um novo patamar, com o resultado da produção regular de Clears, a disseminação consequente e o alcance por Scientology acelerou para níveis sem precedentes. De Perth, na Austrália, vieram notícias de 100 estudantes num curso introdutório, mais 90–100 num curso avançado, uma dúzia de grupos de estudo dirigidos por auditores no campo e a organização inundada de chamadas telefónicas de pessoas interessadas. Simultaneamente, na Grécia, Scientology: Os Fundamentos do Pensamento tinha sido traduzido, pondo o Livro Um de Scientology à disposição dos herdeiros dos grandes filósofos do mundo. E todo este tempo, milhares de livros de Dianética continuaram a saltar das prateleiras, com um quarto de milhão de exemplares da edição encadernada vendidos e os editores agora envolvidos em discussões com o Sr. Hubbard para publicar uma primeira edição de bolso para satisfazer a procura do público. E além disso – filmes das palestras do Congresso de Clearing a ir para a estrada em 27 cidades dos Estados Unidos e mais tarde na Grã-Bretanha, mostrando tudo ser tão popular que as pessoas se deslocavam das cidades vizinhas para assistir a projeções enquanto, por sua vez, se treinavam na tecnologia mais recente, começando assim um novo ciclo nas suas localidades.

Contudo, se isso era o barómetro da expansão de Scientology através do mundo enquanto se aproximava o Outono de 1958, havia ainda tudo o que este novo nível técnico havia de trazer. De facto, L. Ron Hubbard estava já a preparar-se para embarcar no RSM Statendam, com destino a Londres. Lá, não só daria a sua palestra mais conhecida de sempre no famoso Royal Empire Society Hall, a sua visita iria marcar o lançamento de ainda outro avanço crucial – um avanço que ia remontar aos primeiros tempos de Dianética.

« ACC Lectures